Roberto das Neves. Anarkia e Maçonaria

Roberto das Neves: anarquista;  anti Marx, Humberto Delgado, Salazar, anti-igreja. Era contra o tabaco, o Alcool e as drogas. Era  vegetariano, naturista, revolicionário, poeta e maçon…

Maçonaria e sociedade. As acções das maçonarias aparecem em todas as conversas, jornais, politicas e organizações privadas. Em Portugal muitos maçons vieram a público salvar a imagem das suas lojas no ultimo ano, defender os seus Ritos e no fundo apresentar uma saída para aqueles que sentem abandonados e atrasados em relação ao conhecimento e ao mundo.

As energias, o exoterismo, o oculto e a história sempre acompanharam o meu interesse. Um estudo sobre elas, ajuda bastante a perceber como são possiveis certos acontecimentos, como funciona a sociedade de verdade, para quem funciona e porquê, e muda a história. Muitos dos autores que ia lendo e onde me identeficava, ou tinham sido abraçados pela religião, pelo oculto e pela transcêndencia ou mudavam de crença ou opinião, outros romperam totalmente com qualquer submissão a leis devinizadas.

Conheci a Sociedade Thule, o misticismo do Nacional Socialismo, a piramide judaica. “Perdi herois” como Os Templários, os  Celtas, Os Lusitanos, os Spartanos, que no cinema e nos livros eram povos do povo para o povo contra os senhores e reis maléficos, e que na realidade querem o mesmo que qualquer outro grupo de “Verdade, Igualdade e Liberdade” maçonica, manter-nos controlados  com as suas verdades. Até aqui poucos podem não concordar comigo, outros dizem que a confusão me mantêm cego, para muitos sou daqueles homens que nunca se vai libertar e ajudar a  libertar outros.

Perdi a confiança nos Pagões, onde me auto inseria. Percebi que a Cultura que podemos escolher já foi previamente preparada para não ser uma saída pessoal mas sim uma oferecida por um grupo já existente. Que para termos a nossa própria saída e sermos o EU temos de desconstruir o que já existe, e que tantos grupos  tentam impedir.

As maçonarias reforçam os poderes estatais seculares, mantêm o mundo politico e apoiam o capitalismo como forma de resistência e Luta. E principalmente trabalham o seu individuo, para que  com a régua, martelo e compasso criem uma estátua perfeita criada por um “pedreiro” á imagem do senhor, da ordem e da matemática.

Nos ultimos anos ao procurar mais informações sobre tudo, comecei a tropeçar em documentos e textos que identificam escritores que leio e que me ajundam muito a perceber ideias , movimentos e adversários a maçonarias e grupos ocultos. Muitos quais já morreram e que assossiações em seu nome defendem o nacionalismo, Deus, progresso e “pureza natural”  que tantos amigos, revolicionários e “almas perdidas” estão a desviar.

Para mim o anarquismo liberta o individuo da necessidade de crescer com a sabedoria de outros, eliminando os seus própios. A maçonaria diz que é isso que apoia, fica ao critério de avaliação de cada um

Os maçons anarcas que pôde ler até hoje são grande parte anarquistas capitalistas, anarquistas comunistas, socialistas libertários, poetas. Das suas lutas saiu o socialismo, a sua bandeira é a rèpublica ou um estado monárquico tipo Inglaterra ou Espanha, a sua pureza Deus. Coisas que para muitos anarquistas são uma pedra no sapato, que levam a discussões de ideais, quando o que precisamos é de ideias!

Os tempos do Estado Novo eram diferentes dos dias de hoje, e como exemplo que apresentamos no documento abiaxo, Roberto das Neves foi “colhido” aos 19 anos pela maçonaria, a mesma que hoje tanto politico tem nas suas fileiras. Hoje continuam ativas e a recrutar pessoal, na Permacultura, Nos Direitos dos Animais, na Defesa da Natureza, nas Medicinas Alternativas e nos Movimentos Revolicionários.

Fica a pergunta: São os anarquistas que precisam das maçonarias, ou as Maçonarias que precisam dos anarquistas?

Sempre vi Jesus como homem, as suas possibilidades, serem  possiveis com as minas mãos, sempre vi o sangue dos tibetanos acima do Karma do Lama,  sempre fui pelos ìndios contra os cowboys, sempre fui pelo povo contra os reis, sempre chorei e ri com os escravos, apunhalando a “minha cultura”. Sempre vi Robin dos Bosques como um senhor que lutou para recuperar o que perdeu, e que quando ganhou o reino continuou.

Não vejo bem a Maçonaria, e não me parece ser saudável continuar a oferecer liberdade sem igualdade. Que influencia tem hoje no movimento anarquista português e mundial?

Vale a pena conhecer Roberto das Neves pelo que foi e pelo que deixou. Mas hoje que diria ele do “poder da sua Maçonaria”. Que segundo relatos para o fim da sua vida pouco partecipava nos ritos e mesmo reuniões.

INDIVIDUALISMO NÃO É EGOISMO; MAS INDIVIDUALISTAS PODEM SER EGOISTAS…

Roberto das Neves, Individualista e maçon…

Esta entrada foi publicada em ANARQUISMO, CONTROLO com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s