Capitalismo, sociedade de Mercado. ( és vida ou peça?)

“…O carater problemático da sua aproximação é óbvio: se é suposto ignorar-mos todos os “fatores perturbantes” na procura de um “processo puro”, como estabelecemos o que é “puro” e o que é “perturbante”? Podemos repetir a experiência (a forma cientifica de produção industrial) quantas vezes quisermos determinando o “fator perturbante” na relação com um resultado desejado. Mas na história não existem repetições ou resultados desejados (a não ser que assumamos um plano divino ou uma teologia secreta). A conceção de um tipo ideal de capitalismo é enganador, só existe um capitalismo real “numa realidade única e concreta” (Wallerstein). Ainda falta a possibilidade de comparar sociedades em muitos países diferentes para encontrar um “capitalismo médio” ou uma forma de capitalismo onde todas as sociedades se desenvolve para ele. O segundo argumento central de Wallterstien desafia esta suposição ao inserir a questão da “unidade das análises”. Quando comparamos capitalismo em diferentes países assumimos as fronteiras dos países como naturais, que obviamente não o são. Na análise do capitalismo territorial e estados nacionais não podem ser só assumidos como dadas “unidades de investigação”, eles próprios formam parte do problema. Historicamente Wallerstein quer demonstrar que o modo dominante de produção, que é capitalista, não pode emergir independentemente num só espaço do globo, mas sim, desde o princípio, emergiu nos pilares do sistema de estado e tem um “Mercado Global”. O impulso histórico para a formação e acumulação do capital emergiu da divisão de trabalho e correntes de comodidade, que passa por cima dos estados individuais. A investigação separada de sociedades capitalistas nacionais e a sequente análise das “relações externas” vai-nos levar a lado nenhum. Em relação às preocupações de segmentos em “interno” e “externo” é enganadora, dado que desde o princípio uma das características essenciais do capitalismo era utilizar a relação de “fora” e “dentro” como um simples significado para a sua própria função. Não faz sentido falar sobre diferentes capitalismos no espaço e tempo, só existe um, O capitalismo histórico….”

Contínua:  É O CAPITALISMO UMA SOCIEDADE DE MERCADO

Esta entrada foi publicada em CONSUMISMO, CONTROLO com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s